A Honda ainda à procura da melhor forma para o WTCC 2015.

O projecto da Honda para o WTCC iniciou-se em 2012. A marca achou que seria interessante ingressar numa competição com visibilidade e relativamente barata. A entrada da Honda foi vista por todos como uma excelente notícia. O campeonato precisava de uma equipa que conseguisse fazer frente ao poderio dos Chevrolet. A melhor notícia surgiu quando Tiago Monteiro foi um dos pilotos escolhidos para fazer parte do projecto. Piloto rápido, experiente e com qualidade, que apenas precisava de um bom carro para mostrar o seu valor. E para surpresa de todos mostrou-o logo em Macau. A equipa usou as últimas provas para testar o seu carro mas Monteiro tratou de colocar a fasquia bem alto, subindo ao pódio. Era uma entrada de rompante da Honda. Para completar o lote de pilotos, a marca nipónica escolheu Gabrielle Tarquini, outro piloto com muita experiência e qualidade. Os ingredientes estavam reunidos para que a Honda tivesse muito sucesso no WTCC.

tiago monteiro e tarquini

foto: @world

2013 foi um ano de altos e baixos para a Honda. Um projecto novo é mesmo assim. Os obstáculos vão surgindo e só vão sendo ultrapassados à medida que se acumula experiência. Gabrielle Tarquini foi o melhor Honda, acabando o ano em 2º lugar, mas muito longe do poderio de Yvan Muller e do seu Chevrolet. A Chevrolet saiu do campeonato mas deixou os seus carros aos pilotos interessados. Eram claramente os melhores carros do grid os Honda ainda estavam demasiado “verdes” para lhes fazer frente. Monteiro foi 8º na geral acumulando alguns azares.

2014 trazia novos regulamentos: carros com mais apoio aerodinâmico, mais potentes e a entrada de uma nova equipa. A Citroen gostou das alterações dos regulamentos e apostou forte no WTCC, montando uma estrutura considerável. A Honda, com já um ano de experiência, aparecia como uma das favoritas para este “recomeço” do WTCC. Mas a entrada da Citroen foi fulgurante, vencendo e dominando por completo. O Civic WTCC tinha várias lacunas que os homens da marca nipónica tentar corrigir ao longo do ano mas cujos resultados práticos não chegaram para ameaçar a liderança consolidada dos Citroen. O grande problema do carro era falta de “coração”. O motor não apresentava a mesma eficiência na aceleração e na velocidade de ponta o que se traduzia num grande handicap. Ao nível da velocidade de ponta o Honda aguentava-se até as 140km/h mas a partir dai a vantagem caia claramente para o lado dos franceses. A Honda conseguiu corrigir um pouco estes problemas mas não o suficiente para fazer frente aos Citroen. Ao nível do chassis, as melhorias introduzidas pela Honda no decorrer de 2014 melhoraram muito o andamento do carro o que se viu em Macau, com duas excelentes prestações dos Honda.

honda wtcc civic, citroen

foto: @world

Ao nível dos privados, correram Norbert Michelisz e Mehdi Bennani com os Civic. Se Bennani fez uma época positiva, embora não indo além do 11º lugar na geral final, Michelisz acabou mesmo à frente dos Honda oficiais. O húngaro tem uma boa equipa e uma estrutura forte, tendo conseguido resultados bem interessantes para um piloto privado. E ter ficado à frente de Tarquini e Monteiro foi uma grande vitória. A prova de que para ser bem sucedido no WTCC não é preciso pertencer a uma equipa “de fábrica”. Para 2015, Michelisz vai continuar a tripular um Honda enquanto Bennani, mudou de equipa e irá pilotar um Citroen. A sua vaga foi preenchida por Borkovic, piloto sérvio que correu com um Chevrolet em 2014.

2014 foi um ano bom para Tiago Monteiro. Os novos regulamentos favorecem o seu estilo de condução. Monteiro vem da “escola dos monolugares”, cujos carros têm muito mais apoio aerodinâmico do que que os turismos tinham. Com estas mudanças os carros tornaram-se mais rápidos e a qualidade de Monteiro mostrou-se. Com 5 pódios acumulados este ano, Monteiro foi sendo sempre melhor que o seu colega de equipa. Infelizmente faltou-lhe um pouco de sorte e de carro quando podia atacar a vitória. O melhor exemplo do que foi a época do português foi a corrida de Macau. Na primeira corrida capitalizou o melhor que pôde a sua posição, ganhando pontos preciosos. Na segunda subiu para a liderança logo no início da corrida e de lá nunca mais saiu até à última volta, quando a direcção claudicou e atirou por terra todas as hipóteses de vencer. Um final inglório para um piloto que merecia claramente uma vitória este ano.

honda wtcc 2015 vila real

foto: @world

Para o próximo ano espera-se que a equipa nipónica ofereça aos seus pilotos uma máquina capaz de ombrear com os Citroen. A concorrência promete também apresentar outros argumentos. A Lada apresentou o seu novo carro e o optimismo parece estar em alta. A Chevrolet também deverá manter a competitividade. Mas da Honda espera-se muito mais. Espera-se que enfrente os franceses e que lute de igual para igual por vitórias. Tem estrutura e pilotos para isso. E a Honda tem definitivamente de cimentar a sua posição no WTCC. Há equipas interessadas em ingressar no campeonato e essas marcas não vem para brincar. Tudo depende das evoluções que forem feitas no Civic. Estamos a torcer para que 2015 seja um ano positivo para a Honda, pois seria sinal que Tiago Monteiro teria condições para lutar por vitórias. E quem sabe ganhar na estreia em Vila Real.

tiago monteiro no circuito de vila real wtcc

foto: @world

 

Para mais informações consulte o site Chicane Motores em : https://chicanemotores.wordpress.com/

Recommended Posts

Leave a Comment