Nurburgring trouxe ao WTCC o regresso das verdadeiras pistas

Era uma das provas mais esperada do ano (a outra sem duvida é a estreia de Vila Real) e quem viu não ficou desiludido. Foram duas provas interessantes de seguir, com emoção e intensidade. É um fenómeno que se vê frequentemente em várias competições e que se verificou outra vez no WTCC. Quando as modalidades usam pistas “a sério”, com carisma e com qualidade, as corridas ganham outro encanto. Se resumirmos tudo que se passou poderemos dizer que a Citroen dominou outra vez e que os outros ficaram a ver navios. Mas uma volta no “ring” não é uma volta qualquer. É um desafio para máquinas e pilotos. E é por saber disso e por se notar que os fãs adoram esta pista. Traz de volta a aura dos “pilotos gladiadores” onde o risco estava em cada curva e onde só os melhores triunfavam. Era esse espirito que andava perdido no WTCC e que voltou com a visita ao Inferno Verde.

 

Citroen:

yvan Muller vence corrida em nurburgringImperial mais uma vez. Um carro construído de forma inteligente e um motor que nunca mais acaba, como se viu na recta onde Lopez passou por Tarquini e Monteiro de uma assentada. Lopez é cada vez mais o melhor piloto da Citroen. Muller é bom, Loeb é melhor mas Lopez no WTCC não dá hipóteses a ninguém. Com o seu Citroen tem sido uma dupla imparável. O campeonato deverá ser dele outra vez. A primeira corrida foi um “passeio” ( em Nordshelife nada é oferecido e como tal não se pense que foi fácil) e dominou a corrida sem problemas e na 2ª recuperou de forma imparável até ao 2º lugar. Loeb não comprometeu mas também não deslumbrou, numa pista onde se pensaria que a sua experiência de rally lhe daria alguma vantagem. O multi-campeão de WRC demora a impor a sua inquestionável qualidade. Muller venceu a corrida 2 e acumulou pontos preciosos mas a falta de protagonismo na estrutura francesa é clara. Lopez é o “chefe”. Em conversa com alguns amigos brincávamos com a prestação de Ma, dizendo que ele é o “Maldonado” do WTCC. Não lhe ficaria mal esse titulo mas penso que o vou atribuir a outro piloto. Já lá vamos. Em relação ao chines pouco há a dizer. Tem sorte por estar numa equipa de top. Qualidade para lá estar não parece que tenha.

 

Honda:

wtcc nurburgringA especificidade de Nordshleife colocou a nu (se é que isso era preciso) as fragilidades do Civic. A falta de “pulmão” para acompanhar os Citroen foi por demais evidente. Uma equipa que ambiciona vencer não pode ter uma diferença de andamento tão acentuada. Monteiro teve o prémio justo na 2º corrida. O português lutou como pôde para se defender de Muller e mesmo com um carro inferior, pressionou o francês na secção onde o “kit de unhas” era um factor mais decisivo que o motor. No entanto na recta o seu esforço esfumou-se e viu um Lopez supersónico passar por ele como faca quente em manteiga. Uma penalização demasiado pesada para quem lutou tanto como ele. Tanto os pilotos oficiais como Michelisz deram boa conta de si mas o material não dá para mais.

 

Lada:

Mostraram que em linha recta estão fortes e o Vesta até foi o melhor em velocidade de ponta. Mas o carro ainda está demasiado “verde” e precisa de melhorar em muitos aspectos. Huff teve azar na primeira corrida mas na 2ª pontuou e mostrou que é um dos melhores do grid e que apenas a falta de material o impede de voar mais alto. Jaap van Lagen foi uma boa surpresa fazendo valer a sua experiência no traçado germânico.

Chevrolet:

Sabine Schmitz, conhecida como a rainha de Nordshleife conseguiu pontuar na sua primeira corrida no WTCC. Habituada a outro tipo de carros, a germânica conseguiu colocar o seu Chevrolet nos pontos o que só por si já é muito positivo. Coronel não conseguiu impor a sua experiência em pista. Mas um piloto que merece destaque é… Hugo Valente. O francês voltou a ter uma saída de pista. Mais uma. Valente tem mostrado que é de facto rápido mas erra demasiado. São demasiados erros e demasiadas saídas de pista. Para mim ele sim é o Maldonado do WTCC. Não digo que não tenha qualidade mas a facilidade como que erra mostra que é demasiado instável. Para o andamento que tem devia ter já mais pontos.

 

Próxima paragem … Rússia.

Classificação geral:

1 Jose Maria Lopez Citroen Racing C-Elysee 177
2 Sebastien Loeb Citroen Racing C-Elysee 127
3 Yvan Muller Citroen Racing C-Elysee 126
4 Tiago Monteiro Castrol Honda Racing Civic 73
5 Ma Qing Hua Citroen Racing C-Elysee 64
6 Norbert Michelisz Zengo Motorsport Honda Civic 61
7 Gabriele Tarquini Castrol Honda Racing Civic 58
8 Tom Chilton ROAL Chevrolet Cruze 44
9 Mehdi Bennani Sebastien Loeb Racing Citroen C-Elysee 40
10 Hugo Valente Campos Chevrolet Cruze 31
11 Tom Coronel ROAL Chevrolet Cruze 23
12 Stefano D’Aste Munnich Chevrolet Cruze 16
13 Rob Huff LADA Rosneft Vesta 9
14 James Thompson LADA Rosneft Vesta 6
15 John Filippi Campos Chevrolet Cruze 5
16 Rickard Rydell NIKA Racing Honda Civic 3
17 Jaap Van Lagen LADA Rosneft Vesta 2
18 Gregoire Demoustier Craft-Bamboo Chevrolet Cruze 2
19 Sabine Schmitz Munnich Chevrolet Cruze 1

 

 

Classificação geral por construtores:

1 Citroen 364
2 Honda 249
3 LADA 73

 

Recommended Posts

Leave a Comment