Novidades do WTCC para 2016

É precisamente neste momento em que o WTCC parou temporariamente depois da jornada em Vila Real que surgem notícias sobre o próximo campeonato. O interesse neste campeonato está a aumentar e as novidade para 2016 impulsionam esse interesse.

Em 2016 poderão entrar novas marcas para o campeonato do mundo de carros de turismo.

Apesar de neste momento a Citroen ter o domínio quase pleno, senão pleno no WTCC, o interesse de outras marcas neste campeonato é real.

Os responsáveis da Hyundai WRC confirmaram esta semana o interesse de entrar no campeonato com a marca irmã Kia.

Também é falado no interesse da marca sueca Volvo. Por outro lado a marca Italiano FIAT quer relançar a Alfa Romeo e uma das formas é através do desporto motorizdo e o WTCC não está posto de parte.

alfa romeo wtcc 2016

Também nas equipas que já estão no WTCC há novidades, mais precisamente na Honda. A marca nipónica deverá utilizar uma versão 3 volumes do Civic no próximo ano. Esta alteração beneficia em termos aerodinâmicos e a mesma terá efeito na velocidade máxima, que neste momento é um ponto crítico dos atuais Civics.

Para além disso, a ligação de Norbert Michelisz à Honda parece estar cada vez mais reforçada. O húngaro tem participado nos últimos testes oficiais da marca e no seu país começa a circular a noticia que pode ingressar na equipa principal no próximo ano, passando esta a contar três carros. Actualmente o piloto lidera o troféu dos independentes, mas será verdadeiramente um independente. Fica a dúvida.

Do lado dos pilotos sabemos também do interesse do piloto Dusan Borkovic, em regressar ao WTCC. O piloto confessou estar a preparar junto com os seus patrocinadores o regresso ao WTCC, depois de má experiência com equipa Proteam.

Relativamente ao regulamente que tantas críticas tem recebido, também será alvo de alterações, tanto o promotor do campeonato como a FIA já estudam as possíveis alterações.

A principal novidade pode ser no sistema de lastros, talvez numa ideia perto daquela que foi sugerida por Robert Huff – entre 80 e 85 kg de lastro máximo (ainda que haja quem avance com a possibilidade de se chegar aos 100 kg).
Novidades também na qualificação com várias hipóteses em cima da mesa: uma hipótese é fazer duas sessões para definir a grelha de cada uma das corridas; outra, voltar a uma grelha para a segunda corrida tendo em conta o resultado dos (agora) 10 primeiros da primeira, em posição invertida; mas há quem também aposte em definir a grelha da segunda corrida tendo em conta as voltas mais rápidas da primeira.

 

Recommended Posts

Leave a Comment