Perguntas e Respostas com Tiago Monteiro

Como membro de longa data da equipa da Castrol Honda World Touring, o português Tiago Monteiro, de 40 anos, é um candidato forte para o Campeonato Mundial de Carros de Turismo da FIA em 2017. Ele discute novos companheiros de equipa, rivais do título e WTCC’s Regressar a Macau.

Além de testar, como você manteve ocupado durante os meses de inverno?

“Eu tive algum tempo fora com minha família durante o Natal eo Ano Novo. Ele foi bom, a apenas aproveitar o tempo com meus filhos e minha família. Depois disso, começamos a abalar os carros, e havia algumas atividades de relações públicas e marketing. Estive em toda a Europa desde o início de janeiro. I mesmo um dia de esqui para um photoshoot. Agora vai ser cheio até [a primeira corrida em] abril. Quando eu olho para a minha agenda, fevereiro é muito ocupado com testes e PR, é non-stop. Março não há um monte de dias de folga e, em seguida, a primeira corrida vai chegar muito em breve. ”

tiago monteiro wtcc 2017tiago monteiro wtcc 2017O que você acha da nova linha de pilotos da Honda com Ryo Michigami juntando-se à equipe e Rob Huff assumindo um novo desafio em outro lugar?

“A primeira vez que estávamos juntos estava em testes. É novo, mas não é novo, porque já sabemos Ryo do ano passado, quando ele fez alguns testes e uma corrida com a gente. Porque não foi um fim de semana de corrida que não parece tão diferente até agora. Não é a maior diferença não ter Rob lá – muitas vezes em testes não estávamos juntos. Mas estou muito feliz por ele, ele encontrou uma boa oportunidade. Acho que ele será um forte concorrente, sem dúvida. ”

Você estará lá para ajudar Ryo?

“Claro, é para isso que estamos aqui. Já fiz isso nos testes. Estamos aqui para ajudá-lo a estar à altura. Ele tem o talento e a experiência. Ele só precisa aprender esse carro, que é muito diferente do que ele está acostumado. Ele provou que pode aprender rápido e estar atualizado. ”

Obviamente você vai precisar dele para ser rápido para WTCC MAC3. O que você acha do WTCC MAC3? Você já gostou, foi um bom desafio?

“Foi muito mais divertido do que eu esperava. O impacto com os pontos no ano passado foi muito baixo e está mudando para este ano, que é definitivamente uma boa idéia. É realmente uma coisa desafiadora para os motoristas, é interessante, mas também estressante. Se o show é bom para os fãs, então é uma ótima ferramenta e deve ficar. E precisamos de Ryo para estar à altura e estou bastante confiante de que ele será. Claro, haverá algumas faixas que ele não sabe, mas ele deve estar bem. ”
Macau e Monza estão de volta para este ano – você deve estar muito satisfeito com Macau em particular porque é como uma segunda corrida em casa para você dada a influência portuguesa?
“Estou, estou, estou muito satisfeito com Macau. Fiquei muito desapontado quando Macau saiu do campeonato. Para ter de volta é ótimo. Como você sabe, eu estava lá no ano passado para ganhar a Corrida da Guia porque eu amo tanto. Macau merece estar neste campeonato e vice-versa. Monza, embora seja um grande nome e história, não é o circuito mais emocionante. As corridas podem ser emocionantes, mas não é perfeito para os pilotos com linhas longas e travagens duras. Ok, há uma grande chicane, mas eu não sou um grande fã, mas é assim que é. É um pouco frustrante perdermos trilhas onde estávamos muito fortes. Paul Ricard sempre ganhámos lá, Eslováquia e Moscovo. Mas é assim que é e temos de lidar com isso “.

O WTCC também vai voltar para o Nürburgring, que foi, obviamente, um evento difícil para você no ano passado. Você tem algum medo de voltar após o acidente em 2016?

“Nenhum medo não, mas o Nürburgring é sempre um desafio. O fato de eu ter o acidente está bem. Logo após o acidente eu voltei no carro e as coisas estavam boas. Na minha experiência em motorsport eu não tive muitos acidentes grandes. É parte do jogo e graças a Deus não afetou meu fisicamente ou psicologicamente. Claro, eu sempre vou pensar sobre o acidente, mas era um lugar onde você não iria realmente falhar, mas por um problema mecânico. É um desafio voltar com ou sem o acidente. ”

Se você não ganhar o título este ano, quem vai ganhar?

“Claro que o Norbi [Michelisz] será provavelmente o meu principal concorrente na mesma equipe, mesmo carro e ele pode lutar pelo campeonato mundial. Mas não tenho dúvida Rob [Huff] no Citroën será um concorrente muito forte. Mesmo que não seja uma equipe de trabalho, o carro ainda é mais rápido do que nós no momento. Ele tem a mão superior material, sem dúvida sobre isso. Eu não desconto Volvo porque eles estão realmente voltando forte. Eles trabalharam duro e eu sei que eles estão assinando alguns bons drivers. Eles estão reforçando toda a equipe. Eu não posso dizer como eles foram testes, mas estou certo de que eles serão um forte concorrente. Agora, vou dizer que Rob e Norbi serão meus principais concorrentes, mas não vamos esquecer o Volvo. ”

E quanto a testes, razão para ser otimista?

“Parece positivo. Temos um monte de coisas novas no carro, tanto aerodinâmico e motor-sábio e todo o trabalho duro que tem sido feito durante o inverno parece ótimo em termos de números. Agora temos mais testes antes da primeira corrida, então as coisas virão pouco a pouco para o carro “.

 

Entrevista realizado por fia.com

Recommended Posts