O que esperar do WTCR em 2019

In WTCR

Em 2018 vimos a estreia dos TCR na maior competição FIA de Turismos. Os TC1 eram demasiado exigentes a nível financeiro para as equipas e pilotos, e os responsáveis decidiram dar um passo atrás. Como muitas vezes acontece, o passo atrás serviu para que o salto fosse maior e a criação do WTCR foi provavelmente a melhor coisa que aconteceu nos últimos tempos nas competições de turismos.

O primeiro ano foi um sucesso em toda a linha, com excelentes pilotos, boas equipas e boas pistas que proporcionaram corridas muito interessantes e uma luta renhida pelo título até ao fim. O sucesso foi tal que para 2019 espera-se mais e melhor.

As alterações ao nível regulamentar são pequenas, mas podem ajudar a termos um campeonato ainda mais entusiasmante e renhido. Para 2019 teremos uma grelha com um máximo de 32 carros, apesar de inscrições isoladas (Wildcards) não pontuarem. Cada marca poderá ter apenas quatro carros em pista e apenas dois carros por equipa, o que impede a existência de equipas com apenas um carro ou com três (como no caso da Munnich em 2018). Isto poderá trazer algumas mudanças nas equipas uma vez quem em 2018 tivemos 6 Audi RS3 LMS em pista e cinco Honda Civic, sendo expectável que algumas equipas mudem de máquinas para a nova época. O sistema de pontos foi também alterado e a partir da próxima época as duas qualificações darão pontos (ao contrário do ano passado em que apenas a qualificação 2 garantia pontos para o top5). Os cinco mais rápidos das duas sessões de qualificação receberão pontos segundo o sistema 5-4-3-2-1. Os pontos atribuídos nas corridas também foram alterados com as variações entre as três provas do fim de semana a serem colocadas de lado. Em 2019 o sistema de pontuação será igual nas três corridas de cada ronda e dará pontos ao top 15, segundo o sistema 25-20-16-13-11-10-9-8-7-6-5-4-3-2-1.

cyan_wtcr2019
No plano desportivo teremos muitas novidades. Os chineses vão entrar em força no WTCR com a marca Lynk&Co a fazer a sua estreia, com o apoio da Cyan Racing. A marca chinesa pertence ao grupo que detêm a Volvo e por isso a equipa sueca, que sempre teve fortes ligações com a Volvo, irá operar os quatro carros da marca chinesa. A aposta é forte e para o volante das máquinas a escolha recaiu em nomes fortíssimos. Thed Bjork era opção óbvia, ele que trabalha com a equipa há muito tempo. Yvan Muller parece ter colocado de lado os planos de reforma e estará de novo em pista, tal como em 2018, em que lutou pelo título até ao fim. Yann Ehrlacher, um dos grandes talentos do campeonato, foi também escolhido e o quarto piloto é Andy Priaulx, o tricampeão do WTCC que regressa assim ao mundial de turismos.

A Hyundai foi o alvo de 2018, tendo apresentado um carro muito competitivo, provavelmente o mais forte TCR da atualidade. Vendo a forte aposta da Lynk&Co, a marca sul-coreana resolveu fazer o mesmo e além de manter Gabriele Tarquini (vencedor da taça em 2018) e Norbert Michelisz, foram buscar Nick Catsburg (que já tinha participado no WTCC, mostrando o seu grande talento) e Augusto Farfus (o regresso de mais um nome sonante aos turismos).

Outra grande surpresa foi a entrada na competição de Johan Kristoffersson, na Sebastien Loeb Racing. O campeão do WRX que dizimou a concorrência no mundial de ralicross, tem muita experiência em competições de velocidade e sagrou-se campeão do STCC no ano passado. É mais uma adição de peso para uma lista de luxo, faltando ainda muito para decidir.

Há ainda marcas e equipas sem line up definido e há cada vez mais interessados numa competição que será certamente das mais interessantes de seguir este ano, quer nas movimentações do mercado até ao início do campeonato, quer nas lutas em pista, num ano em que esperamos o regresso a tempo inteiro de Tiago Monteiro.

Artigo da Autosport.
https://www.autosport.pt/velocidade/wtcr-mais-e-melhor/

Calendário 2019:

6/7 abril: Marraquexe

27/28 abril – Hungaroring

11/12 maio – Slovakiaring

17/19 maio – Zandvoort

22/22 junho – Nürburgring

6/7 julho – Vila Real

14/15 setembro – Ningbo

26/27 outubro – Suzuka

15/17 novembro – Macau

A definir – Sepang

Recommended Posts